Terra

O Conselho Federal suíço decidiu nesta sexta-feira bloquear imediatamente os possíveis fundos que o presidente egípcio e sua família tenham em bancos da Suíça, segundo anunciou um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.

O executivo publicou uma ordem pedindo aos bancos suíços que busquem e congelem os fundos do clã Mubarak, pouco depois da sua renúncia nesta sexta-feira após 18 dias de protestos. “O Conselho Federal decidiu congelar com efeito imediato todos os fundos que eventualmente se encontrem na Suíça do antigo presidente egípcio e de seus familiares”, assinalou o Ministério em comunicado.

O documento explicou que a decisão tem o objetivo de evitar “qualquer risco de desvios de bens que pertencem ao povo egípcio”.

A ministra de Exteriores suíça e presidente da Confederação, Micheline Calmy-Rey, que nesta sexta-feira se encontra em uma visita de trabalho em Madri, disse à imprensa suíça que o texto foi publicado às 17h30, ou seja, uma meia hora depois do anúncio da renúncia de Mubarak.

Segundo diversas fontes, Mubarak e seus parentes teriam depositado em países estrangeiros, entre eles Suíça, grandes somas de dinheiro. Esta semana, a organização “Direito para Todos” já tinha pedido ao Governo suúçi que bloqueasse imediatamente os possíveis fundos de Mubarak, ainda antes de sua renúncia.

Comentários

comments