WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
nova mrv

PMVC

FTC



safernet br
novo horizonte

aky veiculos

natanael falar e arte

Rádio Senado divulga obituário de José Sarney por engano

Último Segundo

Ao saber do ocorrido, presidente do Senado reage com bom humor e diz estar ‘chegando do céu’.

A Rádio Senado divulgou por engano, na noite desta segunda-feira, um áudio com o obituário do presidente do Senado, José Sarney (PMDB). Com 21 minutos de duração, a gravação descrita no ar como uma “reportagem especial em homenagem ao senador José Sarney” apresentava a trajetória do presidente do Senado, com todos os verbos no passado.

Sarney, ao tomar ciência do ocorrido, reagiu com bom humor ao vazamento de seu obituário. Ao chegar nesta terça-feira e abrir as atividades no Senado, saudou os funcionários da Casa. “Bom dia. Estou chegando do céu. Me receberam muito bem por lá”, brincou o peemedebista. A Secretaria de Comunicação Especial do Senado reconheceu o erro e divulgou nota ontem à noite, na qual afirmou que “é rotina preparar perfis e obituários de todos os senadores”.

O programa preparado pela Rádio Senado abordou toda a história política de Sarney, destacando sua passagem pela presidência do Senado. O áudio relembrou ainda o período em que ocupou a Presidência da República, sua atividade política sob o regime militar e o fato de integrar a Academia Brasileira de Letras, da qual Sarney é membro desde 1980. Além de resgatar discursos do senador, o programa ainda trouxe alguns depoimentos, como o do ex-presidente Tancredo Neves.

Este é o segundo constrangimento envolvendo Sarney em algumas semanas. Quando o jogador de futebol Ronaldo anunciou sua aposentadoria, o Supremo Tribunal Federal (STF) precisou vir a público para se desculpar por uma mensagem postada no Twitter por uma funcionária terceirizada. “Ouvi por aí: ‘Agora que o Ronaldo se aposentou, quando será que o Sarney vai resolver pendurar as chuteiras?”, dizia a mensagem.

A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal (STF) definiu como “ato impensado” da funcionária responsável pela mensagem. Em nota, o STF pediu “encarecidas desculpas” pelos “comentários impróprios a respeito de eminente autoridade”.

Leia também no VCN:
error: Você não tem permissão para copiar conteúdo ou visualizar a fonte.