WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
mrv 2

pmvc iptu

pmvc iptu

diamantina toyota

fainor

natanael tocoto

Viralizou: Mineiros que atacaram nordestinos são identificados e, com medo, pedem desculpas

“Essa galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz”, diz um dos trechos. Rapazes alegam que video foi gravado em “momento de descontração”, em “conversa privada”.

Foram identificados os dois indivíduos que gravaram vídeo com comentários xenófobos, onde xingam nordestinos e nortistas. São eles: Lucas Paolinelli Campos, que é sócio da empresa mineira de extração de pedras preciosas Primus Gemstones, e Vinícius Silveira Raposo, com a camisa do atlético mineiro, que é professor do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) – Campus Bambuí. No vídeo que circula pelas redes sociais, desde o início desta semana, tem causado polêmica devido a comentários xenófobos contra as populações das regiões Norte e Nordeste. Assista o absurdo:

Nas imagens, um grupo de homens comemora a vitória do presidente Jair Bolsonaro, que assumiu a presidência em 1º de janeiro. “Ele (Bolsonaro) falou que é o seguinte: agora é faca na caveira. A gente não vai mais suportar esse pessoal do Acre, de Roraima, do Norte”, afirma um dos homens. Outro, que veste a camisa do clube de futebol Atlético Mineiro, emenda: “Essa galera do Nordeste tem que parar de gastar o dinheiro que o Sudeste produz”. Em seguida, o rapaz que começou o vídeo acrescenta: “Exatamente, a gente tá cansado de produzir e aí vai lá e mula e aí vai lá, não sei o que, não tem água”.  A gravação, que dura pouco mais de um minuto, foi associada à empresa pernambucana Dragão, fábrica de água sanitária, que atua também nos estados de Alagoas e Ceará. Em alguns compartilhamentos do vídeo, chegou a ser informado que um dos homens que aparece nas imagens seria filho do dono da marca. Por meio de nota, a empresa esclareceu que não tem ligação com as pessoas do vídeo e repudiou as declarações xenófobas.

pedem desculpas

Em nota assinada por ambos, eles pedem desculpas e explicam que as gravações foram feitas no dia 30 de dezembro de 2018 em uma roda de amigos.  “[O vídeo] visava uma brincadeira privada, brincadeira essa que, reconhecemos ser infeliz e de péssimo gosto”, diz o texto. “[A brincadeira] veiculada de forma descontextualizada, tomou proporções inimagináveis, motivo pelo qual, de pronto, a rechaçamos e manifestamos total retratação”, acrescentam. Lucas e Vinícius pedem desculpas “a todos aqueles que, por qualquer motivo, se sentiram ofendidos com as palavras ditas (…) que não condizem com as nossas convicções”. A seguir veja o vídeo dos autores dos comentários xenófobos e a integra das respostas e esclarecimentos:

Resposta de Lucas e Vinícius

Vimos, através da presente nota, pedir desculpas e retratar-nos do conteúdo do vídeo gravado em 30/12/2018 e viralizado nos últimos dias. Em momento algum, tivemos a intenção de agredir verbalmente qualquer pessoa ou grupo de pessoas, tampouco quisemos expressar ali um sentimento de ódio, preconceito, discriminação ou incitação de violência. Nunca foi nossa intenção.

Aludido vídeo foi gravado em uma roda de amigos, e visava uma brincadeira privada, brincadeira essa que, reconhecemos ser infeliz e de péssimo gosto. Veiculada de forma descontextualizada, tomou proporções inimagináveis, motivo pelo qual, de pronto, a rechaçamos e manifestamos total retratação.

Reiteramos o pedido de sinceras desculpas a todos aqueles que, por qualquer motivo, se sentiram ofendidos com as palavras ditas por nós, que não condizem com as nossas convicções.

Independentemente disso, no entanto, pedimos desculpas a todas as pessoas que de alguma forma foram atingidas pelo conteúdo desse vídeo e expressamos aqui a nossa certeza de que esse tipo de assunto não deve ser motivo de brincadeiras, mesmo que internas.

Lucas Campos e Vinicíus Raposo

Belo Horizonte, 10 de janeiro de 2019.

Resposta da Primus Gemstones

A Primus Gemstones gostaria de informar que não compactua com nenhuma forma de discriminação ou preconceito de raça, cor, religião ou procedência nacional.

O sócio que aparece no vídeo em questão estava fora do ambiente de trabalho e as infelizes brincadeiras feitas por ele durante aquela gravação não representam DE FORMA ALGUMA os valores da empresa.

Reforçamos, portanto, nosso alinhamento com a visão de um mundo mais justo e igualitário, onde todos sejam tratados de maneira equânime.

Atenciosamente,

Equipe Primus Gemstones Brasil

Nota de repúdio do IFMG – Campus Bambuí

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG)- Campus Bambuí, dentro da sua história de 50 anos, vem a público reforçar o seu compromisso e respeito com a pluralidade do meio acadêmico. Ambiente este que visa a busca pelo conhecimento, nas diferentes formas de aprender e entender o mundo que nos interpõe. Fato primordial para a valorização de um espaço de transformação, que deve ser permeado pelo respeito e pela democracia.

Diante desse contexto, o IFMG não compactua com nenhuma forma de discriminação, e tem trabalhado incansavelmente na promoção do respeito a diversidade, a discussão das diferenças e na eliminação das diferentes formas de preconceito existentes. Estando comprometido com a formação de indivíduos pautados no respeito.

O IFMG esclarece que está tomando as providências legais cabíveis em relação ao fato ocorrido envolvendo servidores de nossa instituição, e reafirma que essa postura não condiz com os preceitos de nossa instituição. Continuaremos lutando por uma educação inclusiva, livre de “amarras” e pautada na ética, moral e civilidade.

Comentários

comments

Leia também no VCN:
error: Você não tem permissão para copiar conteúdo ou visualizar a fonte.