WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
diamantina toyota





safernet br
fainor

aky veiculos

pic pay

natanael falar e arte

Horror no Sudoeste: Identificadas as 3 crianças mortas após pai atear fogo em residência, em Pindaí

Maicon Pereira Carvalho, de 9 anos, Andressa Pereira Carvalho, de 5 anos, e João Augusto Pereira Carvalho, de 1 ano e 8 meses, morreram na tragédia.

Faleceu na manhã deste sábado (2) a terceira criança vítima de um incêndio ocorrido em uma casa no povoado de Mato Grosso, zona rural de Pindaí, na tarde de sexta-feira (1º). Maicon Pereira Carvalho, de 9 anos, seria transferido em uma UTI aérea para um hospital em Salvador, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu no Hospital Geral de Guanambi (HGG). Ele teve mais de 90% do corpo queimado.



Um vizinho que tentou socorrer as crianças ficou ferido e ainda permanece internado em estado grave no HGG. Mais cedo a segunda vítima, identificada como Andressa Pereira Carvalho, de 5 anos, também faleceu. O incêndio teria sido provocado pelo pai das crianças, identificado como Galdino Souza de Carvalho. Ele teria colocado fogo na casa após uma discussão com a ex-companheira. Um menino identificado como João Augusto Pereira Carvalho, de 1 ano e 8 meses faleceu no local do ocorrido. Os corpos foram levados ao IML-Instituto Médico Legal de Guanambi para realização de exame de necropsia.

Segunda morte

Morreu na manhã deste sábado (2) a segunda vítima do incêndio provocado pelo próprio pai na tarde de sexta-feira (1º), no povoado de Mato Grosso, zona rural de Pindaí, no sudoeste da Bahia. Andressa Pereira Carvalho, de 5 anos, morreu na emergência do Hospital Geral de Guanambi (HGG), antes de ser transferida para um hospital referência em queimadura em Salvador. O estado de saúde dela era muito delicado. De acordo com informação do secretário de Saúde Everton Gomes Silva Bueno, o transporte de Andressa seria feito em uma UTI aérea, mas o fato do corpo dela ter mais 90% queimado não resistiu aos ferimentos.

“O transporte aéreo não poderia levar dois pacientes ao mesmo tempo, então levaria um e retornava para levar o segundo. Como o quadro dela era crítico acabou não resistindo”, disse Everton. Duas pessoas permanecem ainda em estado grave, sendo o menino de 9 anos e um vizinho que socorreu as crianças. A mãe das crianças sofreu ferimentos leves não corre riscos. A criança de 1 ano e 8 meses morreu carbonizada ainda na tarde de sexta-feira, depois o pai Galdino Souza de Carvalho ateou fogo na casa após discutir com a ex-companheira. // Folha do Vale.



Comentários

comments

Leia também no VCN:

Pin It on Pinterest