WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
pmvc

embasa

diamantina toyota



camara de vitoria da conquista

hsc

fainor

aky veiculos

natanael a honra do cla

Covid-19: Imunização total da Bahia pode levar até quatro anos, prevê a Sesab

Secretaria ressaltou que a lentidão da entrega das vacinas pelo Ministério da Saúde tem dificultado a vacinação dos grupos prioritários.

A vacinação contra a Covid-19 completou um mês nesta sexta-feira (19) com mais de 398 mil pessoas vacinadas na Bahia, dos quais 22.298 já receberam a segunda dose, até as 15h da quinta-feira (18). De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a imunização de toda a população da Bahia deve chegar a quatro anos.



“O Ministério da Saúde estimava que cada fase duraria um mês e o plano operacional de vacinação na população brasileira duraria 16 meses. Porém, em virtude da entrega a conta-gotas, cada fase deve durar quatro meses e o plano total deve chegar a quatro anos”. A Sebab ainda ressaltou que a lentidão da entrega das vacinas pelo Ministério da Saúde tem dificultado a vacinação dos grupos prioritários.

Vacinação contra a Covid-19 completa um mês na Bahia — Foto: Betto Jr/Secom

“O grupo prioritário na Bahia totaliza 4,957 milhões de pessoas, sendo cerca de 1,4 milhão somente na primeira fase. No entanto, a lentidão do Ministério da Saúde possibilita imunizar apenas 439.980 pessoas das 1,4 milhão previstas na primeira fase, ou seja, cerca de 31%”, explicou o órgão estadual por meio de nota enviada ao G1. Para a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), esse primeiro mês foi um período de adaptação e relativamente tranquilo na capital baiana, no entanto, ressaltou que tiveram alguns imprevistos por causa da baixa quantidade de doses. “A gente tinha um planejamento macro para uma vacinação em massa, que não pôde ocorrer diante da pouca existência de vacinas. Tivemos que nos adaptar a uma nova forma de vacinar, fazendo uma estratégia quase que dia após dia, porque tiveram períodos em que a gente precisava esperar o dia acabar para saber o quanto tinha sobrado de vacina para fazer a estratégia do dia seguinte”.

Médico do Samu, Uenderson Barbosa, sendo vacinado em Salvador — Foto: Reprodução/TV Bahia

Ainda segundo o órgão municipal, mais de 90 mil trabalhadores da saúde já foram vacinados em Salvador. Já a quantidade de idosos vacinados ficou em torno de 20 mil. O primeiro mês de vacinação também foi marcado pela falta de vacinas da primeira dose. A aplicação precisou ser suspensa em Salvador após fim de imunizantes na última terça-feira (16). Já segunda dose da CoronaVac começou a ser aplicada na última terça-feira (16) em Salvador, 28 dias após o início da vacinação na capital baiana. Ela começou a ser aplicada nos profissionais da área de Saúde que atuam na linha de frente da Covid-19, e nos idosos que moram em abrigos – que são vacinados nas próprias unidades. “Iremos continuar com [a vacinação] desse grupo até o recebimento de nova remessa de vacina para continuar com a estratégia”, informou a SMS. Já a vacinação da primeira dose contra Covid-19 precisou ser suspensa em Salvador por causa do fim dos imunizantes. A informação foi divulgada pelo secretário da Saúde de Salvador, Léo Prates, na terça-feira.

Vacinação na Bahia

Cerca de 90,7% das primeiras doses recebidas pelo estado já foram aplicadas. Salvador (115.634), Feira de Santana (14.226) e Vitória da Conquista (10.405) são os municípios que lideram o ranking de vacinação da primeira dose. Em relação ao público-alvo, já foram vacinados 261.389 trabalhadores da saúde, 48.032 idosos de 85 a 89 anos, 44.597 idosos com 90 anos ou mais, 17.460 idosos de 80 a 84 anos, 13.665 indígenas aldeados, 13.173 idosos de Instituições de Longa Permanência (ILPI) e 534 pessoas com deficiência. Já em relação à segunda dose, foram aplicadas 13% das vacinas recebidas. Salvador (4.215), Ilhéus (985) e Eunápolis (663) são as cidades que lideram o ranking de aplicação da segunda dose. Do público-alvo da segunda dose, já foram vacinados 20.258 profissionais da saúde, 1.301 idosos de ILPI, 611 indígenas aldeados e 128 pessoas com deficiência. // G1 Bahia.



Leia também no VCN:

Pin It on Pinterest