WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
mrv

ftc

ifood

diamantina toyota

colegio opcao

Caso Vitória: Vídeo mostra acusados de assassinato “batendo boca” dentro da cela

Acusados estiveram na delegacia enquanto aguardavam a transferência para Tremembé. MP denunciou trio por sequestro, homicídio e ocultação de cadáver.

três acusados pela morte da menina Vitória Gabrielly, de 12 anos, protagonizaram uma discussão na Delegacia Seccional de Sorocaba (SP), nesta sexta-feira (20). Júlio César de Lima Erguesse e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes estiveram na delegacia depois de passar por exames no Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Enquanto aguardavam a transferência para o presídio de Tremembé (SP), Bruno e Mayara dissram que são inocentes, choraram e insistiram para Júlio falar sobre a acusação. Os três acusados ficaram em celas separadas, lado a lado. Assista o bate-boca:

O repórter cinematográfico da TV TEM, Gabriel Torres, registrou a conversa que durou três minutos e meio. Fumando dentro da cela, Mayara ainda tentou tranquilizar o companheiro, dando as mãos para Bruno entre as grades e dizendo que eles vão provar serem inocentes. Júlio parou de responder as perguntas do casal e chegou a aparecer na grade da cela, passando a mão na cabeça.

Mayara Borges de Abrantes, presa por suspeita de participação na morta da menina Vitória Gabrielly, fez exames nesta sexta-feira em Sorocaba (SP)  (Foto: Reprodução)

Em seguida, os três seguiram com equipes do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) para a penitenciária de Tremembé. O Ministério Público denunciou na segunda-feira (16) o trio por sequestro, homicídio e ocultação de cadáver. Segundo a investigação da polícia, Vitória Gabrielly foi morta por engano. O alvo seria a irmã de um rapaz que devia dinheiro a um traficante. A promotoria alega que os três cometeram o crime mesmo sabendo que era a vítima errada.

Frieza extrema

Na denúncia do MP os promotores fundamentaram o pedido de prisão preventiva com informações sobre a personalidade dos suspeitos. A promotoria afirma que os réus se mostram incapazes de conviver em sociedade, que têm “traços de personalidades animalescas” ao sequestrarem a menina de apenas 12 anos, e “frieza extrema” na execução do crime. Ainda conforme o documento, a menina Vitória Gabrielly foi morta pelos suspeitos para esconder o sequestro.

Comentários

comments

Leia também no VCN:
error: Você não tem permissão para copiar conteúdo ou visualizar a fonte.