Órgãos de monitoramento não têm ocorrências que expliquem relatos. Reportagem circulou pela cidade na manhã deste domingo e ouviu depoimentos.

| Redação.BDM

O tremor de terra que assustou moradores de Salvador e municípios vizinhos neste domingo (26/3) é o assunto mais comentado do dia.

Ainda não há posicionamentos de órgão oficiais ou especialistas sobre o que teria acontecido, mas Gabriel Portinho, 35 anos, morador de Vilas do Atlântico, pode ter uma explicação. Ele garante ter visto um comenta caindo por volta das 7h, quando a maioria das pessoas sentiu a vibração.

“Coincidentemente, eu estava olhando pro céu e vi um cometa passando. Deixou um rastro de fumaça e caiu. No mesmo instante, deu pra ouvir um som forte, como se fosse um trovão, um estrondo”. Gabriel conta ainda que não sentiu nenhum tremor de terra em Vilas. “Comentei com um amigo sobre o que tinha visto e, minutos depois, ele me passou que a informação estava circulando nos sites e redes sociais. Se soubesse que teria essa repercussão, teria filmado”, brinca.

Ele disse ainda que é comum visualizar objetos no céu naquela região, mas poucas vezes como o que apareceu hoje. “Foi tudo bem claro. O tempo está bom, céu aberto, tudo muito visível”. Mas, cauteloso, ele pondera que não pode dizer se o suposto cometa é o responsável pelo susto que os baianos passaram hoje. “É difícil dizer se foi ele o responsável.”.

Incidente intriga população e especialistas

Moradores de vários bairros de Salvador relataram ter ouvido um forte estrondo seguido de susposto tremor por volta das 6h45 deste domingo (26). Órgãos de monitoramento sismológico consultados pela reportagem não registraram atividades sísmicas na capital baiana. A Defesa Civil de Salvador também não tem ocorrência relacionada ao fato.

Funcionário de supermercado diz ter ouvido grante estrondo (Foto: Maiana Belo/G1)Há relatos da mesma situação entre moradores da região de Brotas, Candeal, Tororó, Engenho Velho de Brotas, Acupe, Rio Vermelho, Matatu e Barra. A reportagem circulou pelos bairros na manhã deste domingo e ouviu uma série de depoimentos parecidos sobre o ocorrido. “Ouvi um estrondo, pensei que tinha sido alguma coisa próxima ao Dique [do Tororó] ou da Fonte Nova”, disse Ailton Souza, funcionário de um supermercado da região, que fica na Rua Frederico Costa próximo a Campinas de Brotas.

“Eu ouvi e pensei que alguma coisa muito pesada tinha caído no chão, uma janela, algo do tipo, mas quando fui ver não era nada. Foi um barulho bem forte de uma vez só”, disse o estudante Jonathas Souza. Ele mora no Dique pequeno, na região do Dique do Tororó. “Acordei assustado com o barulho, mas foi o estrondo mesmo. Nada quebrou ou rachou. Olhei na janela e não vi nada”, disse o pedreiro Almir Ribeiro, que mora no Tororó, nas proximidades do Hospital Martagão Gesteira.

“Estava tomando café, quando ouvi um forte barulho. Achei que poderia ser algo caindo no prédio, mas a porta, janelas e móveis tremeram por alguns segundos, cerca de 20. Fiquei assustado e cheguei a olhar pela varanda e na porta se estava acontecendo algo com o prédio”, relatou o jornalista Raphael Carneiro, que mora no Acupe de Brotas.

Pescadores no Rio Vermelho (Foto: Maiana Belo/G1)“Meu marido pensou que era um estouro de caixa de luz. Eu só ouvi a explosão”, disse Mariete Silva que mora em Vila Matos, região próxima ao Rio Vermelho. “Eu cheguei cedo para pescar quando ouvi o barulho, mas foi só uma coisa parecida com explosão mesmo”, relatou o pescador João Carlos Nascimento, na Colônia do Rio Vermelho.

Moradores do Candeal também ouviram um forte estrondo, seguido de uma sensação de tremor rápido. Um morador da Barra contou que ainda dormia quando ouviu um barulho forte, mas não conseguiu reconhecer de onde vinha. O Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (Unb) não registrou eventos sísmicos na capital baiana ou área próxima que pudesse justificar os relatos de moradores. O mesmo ocorreu com o observatório especializado da Universidade de São Paulo (USP), que disponibiliza consultas de “eventos significativos” por meio de sua página na internet.

No boletim da Rede Sismográfica Brasileira (RSB), o último evento significativo registrado ocorreu na região de fronteira entre o Peru e o Brasil, neste domingo, com magnitude 4.1, o que segundo especialistas da Universidade de Brasília ouvidos não é capaz de ocasionar tremores na Bahia. A reportagem tentou contato com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado da Bahia (Sudec), mas não conseguiu localizar nenhum responsável pelo órgão durante a manhã deste domingo. // Aratu Online . G1 Bahia.

Comentários

comments