No Sudoeste, a ação dos federais ocorre em Barra do Choça, Cândido Sales, Condeúba, Encruzilhada, Ribeirão do Largo, Itambé, Jequié, Piripá, Vitória da Conquista, Tanhaçu. Gestores públicos e empresários estão envolvidos.

Agentes da Polícia Federal estão nas ruas da Bahia na manhã desta quinta-feira(23), para cumprir 13 mandados de prisão preventiva, 4 de prisão temporária e 41 de busca e apreensão contra um grupo formado por políticos e empresários, além de servidores acusados de fraudar licitações em contratos na área de educação. O objetivo do grupo era o desvio de dinheiro público. De acordo com as investigações, a fraude em vários municípios soma R$ 140 milhões dos quais 45 milhões teriam sido desviados, apenas entre os anos de 2010 e 2016. Ainda conforme o que foi apurado, parte desse dinheiro era repassado para servidores para fraudar licitações na área de transporte escolar e influenciar outras decisões do governo.

Na Bahia, a ação dos federais ocorre nas cidades de Barra do Choça, Cândido Sales, Condeúba, Encruzilhada, Ribeirão do Largo, Gandu, Itambé, Jequié, Piripá, Vitória da Conquista, Tanhaçu, Ipirá, Salvador, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Formosa do Rio Preto e, em Minas Gerais, na cidade de Mata Verde.

Secretários nomeados pelos prefeitos nos municípios em que o grupo atuava eram escolhidos para participar da corrupção. Durante as investigações, foi descoberto que até a aprovação das contas pela câmara de vereadores do município onde o grupo criminoso atuava era decidida pelo grupo. Os vencedores das licitações eram decididos pelo grupo, de acordo com as investigações da Polícia Federal e a verba desviada servia para financiar campanhas políticas. Até os candidatos para participar das eleições eram discutidos e aprovados pelo grupo. A ação da PF está sendo realizado na Bahia em em Minas Gerais. Com informações do Agora na Bahia.

Comentários

comments